Mês das Crianças – Desenvolvimento infantil

Começando nossa sequencia de conversas e textos em função do mês das crianças, vamos falar desse assunto, que parece tão fácil de perceber, mas tão difícil de explicar. O que é o desenvolvimento infantil? Ele é influenciado por quais fatores? O que podemos fazer como pais e cuidadores para estimular esse desenvolvimento?

Tecnicamente, o desenvolvimento infantil diz respeito à sequencia de transformações do corpo que aumentam a sua complexidade. São especializações nas células, maturação dos sistemas e órgãos e aquisição de novas funções. Mudanças que fazem parte do amadurecimento de todas as crianças.

É consenso entre os pesquisadores dessa área que o desenvolvimento infantil é resultado tanto das características genéticas quanto do meio ambiente em que a criança se desenvolve. As características genéticas são mais difíceis de mudarmos, são necessárias intervenções tecnológicas delicadas. Porém a parte do meio ambiente é bem possível de ser planejada e moldada para acolher essa criança de forma a promover seu desenvolvimento saudável.

No quesito meio ambiente há de se levar em consideração desde o lugar no mundo em que a família está inserida até a dieta alimentar, a exposição a doenças, segurança. E aqui um item importante é a interação dessa criança com a família e com outras pessoas.

Em relação a isso, o economista e especialista em primeira infância, Flavio Cunha, em entrevista ao blog Desenvolvimento Infantil, afirmou que:

“Estudos realizados com crianças, nos anos 1960, hoje adultos com mais de 50 anos, mostraram que o vínculo, o amor, o diálogo experimentados por uma parte do grupo pesquisado contribuíram para que essas pessoas adquirissem mais educação, melhor renda na vida profissional, com participação qualificada no mercado de trabalho, tivessem casamentos duradouros, adquirissem a casa própria, se envolvessem menos em delitos. Tudo porque receberam intervenções positivas na primeira infância e seus cérebros se desenvolveram sadiamente, as conexões neuronais foram preservadas e fortalecidas pelo afeto”.

Então, para além de curvas de desenvolvimento “normal”, de diagnósticos psicológicos e limitações físicas, é o vínculo dos pais e cuidadores com as crianças que deve ser priorizado e fortalecido.

Invista tempo

Quando empregamos mais tempo no cuidado das crianças conseguimos estimulá-las mais com brincadeiras, jogos, conversas. Com isso elas vão se tornando mais astutas, aumentam o vocabulário, são incentivadas a se desenvolverem física, mental e emocionalmente. Estreitamos os laços, trazemos segurança para a criança, e o tal do desenvolvimento cresce vigoroso.

Imagem: Freepik

Com o objetivo de fortalecer a relação com as crianças, vamos te sugerir o uso de alguns óleos essenciais. Para que vocês desfrutem mais ainda desses momentos de dedicação e para deixar o carinho e o amor fluírem.

O óleo essencial de laranja doce pode ajudar muito nos momentos de parceria. Ele emana alegria e leveza, é um óleo ensolarado. Fará com que a relação perca a rigidez, a conversa seja mais fluída, e a brincadeira, mais feliz. E uma de suas características é que, diferentemente de outros óleos essenciais cítricos, ele não contém quantidades significativas de furanocumarinas, que seriam as responsáveis pela fototoxidade. Na prática: não há problema em usar esse óleo essencial e sair no sol.

Você pode usá-lo de várias formas durante os momentos de interação: no difusor de ambiente; inserido em alguma brincadeira como a massinha de modelar, ou mesmo aplicá-lo em um colar difusor e deixar com a criança.

Abrir-se para o afeto

Imagem: Freepik

Agora, se você percebe que há alguma trava que parte de você e que impeça o fortalecimento desse vínculo, um pequeno tratamento com o óleo essencial de gerânio pode ser de grande ajuda.

O gerânio nos libera para o amor. Ele nos coloca em contato com o maior sentimento que existe, o amor materno. E nos enche desse sentimento bom, de pureza, de força, de doação. E com tanta coisa boa envolvida, o desenvolvimento do seu pequeno vai ser saudável e feliz.

Você pode usar o óleo essencial de gerânio no difusor pessoal, uma gotinha por dia. Ou manipular em 30g de creme neutro, 10 gotinhas do óleo essencial de gerânio, e passar essa misturinha no peito, na altura do coração, em uma pequena massagem meditativa.

Assista também a gravação da aula ao vivo feita pela Daiana sobre esse tema, lá na nossa fan page do facebook . E continue acompanhando nossa série. No próximo capítulo teremos “foco, concentração e o TDAH”.

Os óleos essenciais citados nesse texto, o difusor pessoal, creme neutro para adição dos óleos essenciais e muito mais, você encontra na nossa lojinha virtual [aqui]

Referências

BOWLBY, John. Cuidados maternos e saúde mental. SP, Martins Fontes, 2006

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica.

Desenvolvimento infantil. Disponível em: <http://desenvolvimento-infantil.blog.br> Acesso em 24/09/18

DIAMENT, Aron. Índices clínicos no desenvolvimento neurológico da criança. Pediat. (São Paulo) 4: 345-356, 1982

Saúde da criança: acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil / Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

Deixe uma resposta