Diluição de óleos essenciais: Prepare formulações eficientes e seguras com eles.

Óleos essenciais (OEs) são substâncias extremamente complexas, carregadas de princípios ativos, e é necessário que seja feita uma diluição para usarmos eles na nossa pele. Primeiro porque na maioria das vezes não conseguiríamos absorver todos os benefícios trazidos por uma quantidade muito grande do OE (e essa quantidade grande pode ser uma gota!), e acabaríamos desperdiçando essa matéria-prima tão preciosa. Outro motivo é a possibilidade de irritação e alergias provocadas pelos OEs, que é uma possibilidade grande quando não se respeita as diluições seguras.

O desafio então é fazer um preparado que tenha uma quantia de OE mínima suficiente para que seja eficiente e ao mesmo tempo uma proporção segura, que evite reações alérgicas e sensibilidades.

Falando novamente porque esse é um ponto crucial: OEs são extremamente puros e formado por moléculas com princípios ativos que atuam muito fortemente no nosso corpo. Não menospreze seu poder. Provavelmente você verá receitas na internet que indicam quantidades maiores de OE, siga a sua consciência de escolha. Maiores quantidades nem sempre levam a melhores resultados, até porque nosso corpo possui limites em relação à possibilidade de assimilação dos componentes. As quantidades descritas aqui são as utilizadas na Harmonie e trazem os melhores resultados já observados.

Quantidades indicadas de OE

Em tratamentos com OE aplicados na pele, trabalha-se com a observação do local que vai receber a aplicação. E de acordo com cada um desses locais, e também dependendo da sensibilidade da parte do corpo, da necessidade ou não de um tratamento intensivo, define-se a proporção de OE utilizada, e se faz a diluição.

Como fazer a diluição

O primeiro passo é escolher a base que irá usar (creme neutro, gel neutro, óleo vegetal, shampoo neutro, etc.). Para isso é necessário observar fatores como o benefício que se espera do produto, o local a ser aplicado e o tempo de contato necessário.

Se a base escolhida for sólida ou semissólida, use um recipiente de vidro ou cerâmica muito limpo para fazer a mistura. Caso sua base seja líquida, é possível adicionar os OEs diretamente no frasco escolhido, agitando a mistura após a adição. Isso é o básico da diluição.

Mas é preciso ser muito criterioso nas quantidades! Uma convenção básica que usamos na aromaterapia é a de que 1mL de OE equivale a 25 gotas. A partir disso podemos usar a famosa “regra de 3” e saber exatamente quantas gotas de OE precisamos em nossa preparação.

Exemplo 1

Digamos que você vai preparar 30mL de um creme para o rosto com óleo essencial de gerânio.

Para a área do rosto, como vimos, a porcentagem de OE utilizada é de 0,5%.

Segundo a regrinha então, montamos a equação da seguinte forma:

30mL (quantidade do creme) ——- 100% (da formulação)

X (quantidade de OE) —————– 0,5% (da formulação)

Multiplicamos os termos na diagonal:

30mL * 0,5% = 100% * X

15mL% = 100%*X

X = 15mL% / 100%

X = 0,15mL

Essa é a quantidade de OE, em mL, que devemos adicionar ao creme.

Agora fazemos outra continha como essa para descobrir quantas gotas são equivalentes a esses 0,15mL.

Sabemos que 1mL é equivalente a 25 gotas.

1mL —— 25 gotas

0,15mL ———– X

Multiplicamos os termos diagonais:

0,15mL * 25 gotas = 1mL * X

3,75mL*gotas = X*1mL

X = 3,75mL*gotas / 1mL

X = 3,75 gotas

Como não é possível dividir as gotas, precisamos arredondar esse resultado. Você decide se quer adicionar 3 ou 4 gotas. Lembrando que o produto será usado no rosto, que é uma área muito sensível.

Exemplo 2

É o mesmo caso, manipulação de um creme para o rosto com gerânio. Mas aí você resolve adicionar um outro OE, palmarosa, digamos. Como fazer?

A quantidade final de OE será aquela mesma calculada anteriormente, 3 ou 4 gotas. A questão agora é estudar os benefícios e precauções necessárias dos dois OEs e decidir se quer colocar quantidades iguais de cada um, se um deles merece mais destaque com quantidade maior, ou ainda se algum deles precisa ser adicionado em menor quantidade por causar irritação ou por ser tóxico.

Nesse exemplo, a palmarosa deve ser usada em quantidades bem pequenas, por ser irritante à pele em maiores proporções.

Então resolvemos o creme do nosso exemplo assim:

30mL de creme base neutro

2 gotas de OE de gerânio

1 gota de OE de palmarosa

Uma formulação segura, com diluição correta, que não irá irritar a pele, e que trará resultados positivos para o rosto.

Lembre-se de que, no uso dos óleos essenciais, menos é sempre mais. Os OEs são incríveis, ajudam mesmo. Mas é preciso ter muita responsabilidade no uso.

Esperamos que esse texto tenha lhe esclarecido em relação aos cálculos e cuidados que devemos ter na hora de diluir nossos OEs para utilização.

Os óleos essenciais da Harmonie, 100% puros, e vários outros produtos você encontra em nossa loja virtual.

É dessa forma que você faz os cálculos de diluição? Conhece outro método? Conta pra gente.

28 comentários em “Diluição de óleos essenciais: Prepare formulações eficientes e seguras com eles.

    1. Isso, nos perfumes se usa mais quantidade de óleo essencial para uma mesma quantidade de álcool. Isso porque se quer deles muito mais os aromas em si do que nos tratamentos aromaterápicos.

    1. Camila, depende do tipo de perfume, o uso. Se é pra ser mais terapêutico, se é só pelo cheirinho, se a construção de OEs para a fixação foi bem feita… Vários fatores.

      Dá pra usar de 3% até 12% ou mais. Comece com o mínimo e vá percebendo.

  1. Olá, para manipular os óleo, primeiro não entendi o que é , Os , outra coisa se uma cliente chegar e pedir um óleo manipulado, ela tem insônia anciedades nervosa compulsiva em comer….tem como manipular tudo pela matriz de cada item que ela me pediu.

  2. Quero usar oleo essencial no meu bebe o de lavanda e o Melaleuca, tenho 50ml de oleo vegetal de amêndoa, quantas gotas uso de cada para 50ml?e posso deixar essa solução pronta para não precisar fazer todos os dias?

    1. Oi, Régia.
      Com bebês tudo depende muito, e deve ser bem planejado.
      Se ele tiver menos de dois meses, nada de óleos essenciais.
      Até os seis meses, evite. Use só em casos pontuais, ou pra tratar algo muito específico. Sempre bem diluído e evitando o contato direto com a pele.

      Depois dos seis meses dá pra começar a pensar em usar assim com um pouco mais de frequência. Mas te pergunto, qual o objetivo com lavanda e melaleuca?
      A lavanda é ok, ajuda no sono, espanta mosquitos, etc. Poderias usar 5 gotas do OE de lavanda nesse frasco de 50mL, isso usando SÓ a lavanda.

      Melaleuca seria mais para usos pontuais, um fungo, tal. A não ser que tenhas um grande motivo para usa-lo, recomendo que deixe só a lavanda com o óleo de amêndoas. Seria algo mais do uso diário, para fazer massagens, usar como repelente, acalmar a pele, enfim.
      E o óleo de melaleuca deixe para casos pontuais.

  3. Bom dia, eu fiz uma receita pro cabelo porem era pra mim comprar o óleo vegetal e não o essencial, como eu nunca tinha ouvido falar desse óleo comprei o essencial achando ser igual. E na receita que fiz vai 150ml de óleo de Coco, 2 tampinhas de óleo de babosa e 2 tampinhas de óleo de alecrim (esse foi que comprei errado, era pra ser vegetal)
    Fiz a receita porem depois soube que esse óleo essencial era terapêutico e pesquisei sobre ele , foi aí que descobri a diferença dos dois. E pelo meus cálculos, devo ter colocado nessa receita quase 8ml do óleo essencial. 🙁
    Deve ter ficado super forte né? Eu iria usar essa receita no cabelo. Mas agora fiquei.com medo de usar, pois fora o risco que corro de não me fazer bem Pelo excesso, eu amamento uma bebê de 1 mês e meio. Vc me aconselha a fazer oq com essa receita, não queria ter que jogar fora:(
    Agradeço muito pela sua resposta.

    1. Oi, Karina.
      Sim, ficou muito forte!!
      Ainda mais se estás amamentando, esse é um óleo essencial contraindicado para o período de lactação.
      Pelas minhas contas o seu preparado está com 5% de alecrim, quando, para o uso seguro no couro cabeludo de uma pessoa NÃO-LACTANTE deveria ser de 0,5%. Estão está 10x mais concentrado do que deveria!!

      Pra aproveitar essa preparação você pode fazer assim: Junte uma parte desse preparado a 9 partes de mais óleo de coco, ou outro óleo vegetal, e misture bem. Mas use só depois de parar de amamentar, isso pode ser bem sério.

  4. Boa Noite! Gostaria de diluir OE Lavanda em OV Girassol, para prevenção e tratamento de assadura na minha filha de 15 meses. Essa indicação é correta? E há alguma especificação para o óleo vegetal de girassol que devo usar? procurei na farmácia, há várias opções e fiquei confusa…
    Obrigada, desde já

    1. Oi, Karina. Está ótima essa formulação.
      Procure no rótulo do óleo vegetal de girassol se a composição dele é unicamente óleo de girassol. Não pode ter nenhum óleo mineral ou outro ingrediente qualquer.
      Veja também se encontra alguma indicação de que ele tenha sido extraído a frio, sem uso de solventes. Dessa forma ele conserva os antioxidantes e vitaminas naturais da planta.

  5. Olá, para produção de sabonetes artesanais medicinais, usando a base glicerinada vegetal de 1Kg, quantas gotas de óleo essencial poderiam ser usadas? Obrigada.

    1. Oi, Luciana. Entre 2 a 3%, o que daria cerca de 30mL por kg de base. Mas tenha em mente que para uso terapêutico dos óleos essenciais, a base não é a melhor opção, por aquecer os óleos.

  6. Olá bom dia, eu estou começando na área x sabonetes vegetais c óleos essenciais, e argila, estou estudando bastante sob tudo isso, estou amando de verdade, os óleos essenciais são medicinais e maravilhosos, meus sabonetes 150gms, uso uma gota no final do preparo, está correto???

    1. Oi, Rita. Ah, é um caminho lindo esse das descobertas, né? E sem volta, hahaha.

      Sobre seu sabonete, é pouca a quantidade de óleo essencial que estás usando, para um tratamento terapêutico. Para 150 gramas, uma proporção de 2% (indicada para os sabonetes), seria algo como 3g de óleos essenciais, ou 60 a 75 gotas.

  7. Boa tarde.
    Comprei bases neutras em gel e creme para preparar, com óleos essenciais.
    Quero fazer um creme para o rosto de Rosa damascena 10% + lavanda e o gel de lavanda + Tea Free. A quantidade de gotas vai ser a mesma que você descreveu acima? O fato do OE de Rosa ser de 10% altera alguma coisa? Se puder me responder eu agradeço desde já.

    1. Oi, Marcelle.
      Sim, use essas diluições como base para as suas preparações, de acordo com o objetivo de cada uma.
      O óleo de rosas a 10% é um caso específico mesmo. Na teoria, podes colocar 10x mais dele. Então em um creme, por exemplo, em que colocaria 6 gotas totais de OEs, podes colocar as três gotas da lavanda, e até 30 da rosa. Porém esse valor parece bem alto, já que a rosa é um aroma bem expansivo (e caro!). Indico, ainda nesse exemplo, colocar umas 5 gotas dela, misturar bem e avaliar a necessidade de adicionar mais.

  8. Olá Cristiane! tentei fazer alguns perfumes naturais com óleos essenciais e percebi que nem todos se dissolvem no álcool. Você sabe porque?

    1. Oi, Julio.
      Sim. Há alguns óleos essenciais com % grandes de resinas, cujas estruturas químicas não são compatíveis com a do etanol. E aí só parte do óleo essencial é dissolvido.
      E outros óleos, como a copaíba, que são oleorresinas. Eles tem moléculas que o definem como óleos essenciais, como os terpenos, mas também possuem moléculas de resinas e alguns triglicerídeos, moléculas de óleos vegetais. E nesse caso não adianta chacoalhar, aquecer, que não vai diluir mesmo.

    1. Oi, Sílvio.
      Para dor aguda, em pontos específicos, podes usar 1%.
      Já para massagens em grandes extensões do corpo, use 0,5%.

Deixe uma resposta