Só cheirando o óleo essencial já funciona?

Só cheirando o óleo essencial já funciona?
Claro, a resposta é um imenso SIM! (senão nem haveria motivo para fazermos esse texto). Mas vamos nos aprofundar nesse assunto para mostrar cientificamente porque isso acontece.
Um cheiro pode mexer no nosso estado mental, nas emoções, atitudes e até no físico, nos deixando mais magras, com a pele mais bonita. É fato, cheirar um óleo essencial (OE) pode influenciar física, mental e emocionalmente.
Primeiro vamos ver como é constituído um OE. A composição química de um óleo essencial

Cada OE é formado por várias moléculas diferentes. O óleo de rosas, por exemplo, chega a ter mais de 400 componentes. E cada tipo de molécula é um princípio ativo, age de forma particular.
Os OEs, principalmente os extraídos por destilação, são formados por moléculas pequenas, que se volatilizam facilmente, e se misturam ao ar no entorno do frasco ou do lugar onde o líquido foi aplicado. O fato de sentirmos tão fortemente o cheiro de um OE significa que grande parte dele está volatilizada, e capturamos as moléculas livres com o nosso nariz no momento da inspiração.
Isso significa que sempre que sentimos qualquer cheiro é sinal de que há determinadas moléculas livres no ambiente que chegaram até o nosso nariz. Quando inalamos um OE não é diferente, suas moléculas, muitíssimo pequenas, penetram diretamente numa parte muito especial do nosso cérebro, que influencia nossas sensações e atitudes: O sistema límbico.
Como que um aroma pode mexer com o físico, o mental e o emocional?
O sistema límbico é responsável por coisas incríveis: Regula os sentimentos, as emoções, a memória, a aprendizagem e a energia física, entre muitas outras. Ele se localiza bem atrás do nosso sistema olfativo, e é sensível aos aromas.
Ao absorver as moléculas de OE o sistema límbico responde imediatamente: cria e dispara neurotransmissores, que são informações que o resto do corpo assimila. Então dependendo do OE inalado, o sistema límbico desenvolve respostas distintas e transmite ao corpo sensações como o relaxamento, felicidade, euforia, entre inúmeras outras.
Como esse sistema é responsável pelas emoções, ele pode ativar também mudanças de atitude. Por exemplo, uma pessoa que sofre com compulsão alimentar, ao fazer um tratamento com OE de bergamota, pode ficar mais calma, mais segura de si, menos ansiosa, e então ela percebe que não precisa mais usar a comida como válvula de escape para questões psicológicas. Assim se livra do vício de comer compulsivamente e acaba emagrecendo.

 

Aromaterapia por inalação

Existem várias técnicas usadas pela aromaterapia para fazer com que o indivíduo tenha contato com os OEs. Eles entram no nosso corpo através de absorção pela pele (em cremes, pomadas, sabonetes, massagens, etc), ou por inalação, que é o método que estamos ajudando a esclarecer hoje.
Ao longo de anos de estudo sobre efeitos da aromaterapia por inalação, e através de registros clínicos, já foram mapeados óleos essenciais para aplicação em inúmeros casos específicos. Eles são capazes de alterar a percepção da dor crônica, melhorar a pele, acabar com o mau humor, aumentar a concentração, controlar estresse, tornar a pessoa mais afetiva, mais aberta para o mundo, tratar doenças internas… mil coisas. E sim, só
cheirando.

Veja a seguir como fazer e algumas sugestões de tratamentos com OEs.

Como usar OEs por inalação Os OEs trabalham de forma imediata. Em 20 minutos, por exemplo, já ajudam a trazer foco para um dia de pensamentos bagunçados. Mas se o problema a ser tratado é mais profundo, quando se espera mudanças de pensamento, resolução de questões psicológicas, entre outros, o tratamento deve ser contínuo e durar mais tempo. Nesse caso é necessário entrar em contato com o OE indicado todos os dias por um período de 45 dias a 3 meses, até perceber que as mudanças estão acontecendo.


Usando difusor ambiental
Coloque água no difusor conforme as indicações do fabricante e adicione 4 gotas do OE escolhido. Ligue o aparelho e mantenha-se no ambiente por pelo
menos uma hora para aproveitar os benefícios do OE.


Usando difusor pessoal
Pela manhã, pingue uma gota do OE escolhido no difusor pessoal. Colocar um pouquinho de algodão para fixar o óleo e evitar vazamento é opcional. Use o colar durante todo o dia.


Usando inalador
Pingue uma gota de OE no algodãozinho dentro do inalador, feche e deixe em um local de fácil acesso (sua mesa de trabalho, na bolsa, etc.). A ideia é que várias vezes por dia você acabe olhando para ele e sempre lembre de inalar. Aproxime de cada narina e inspire profundamente. Reforce com uma gota de OE todos os dias. Ao mudar de OE no tratamento, troque o algodão de dentro
do inalador.


Algumas sugestões
Pratique a inalação desses OEs por algum tempo para obter resultados relevantes.
• Ansiedade: OE de ylang ylang
• Depressão: OE de laranja
• Estresse: OE de lemongrass
• Foco e concentração: OE de limão siciliano.

Referências
SILVA, M. J. P.; LEÃO, E. R. Práticas complementares no alívio da dor. In: LEÃO, E. R.;
CHAVES, L. D. Dor, 5º sinal vital: refexões e intervenções de enfermagem. Curitiba, p.
121-133, 2004.

10 comentários em “Só cheirando o óleo essencial já funciona?

  1. quando uso o óleo de lavanda, uma gotinha no difusor pessoal, sinto dor de cabeça e um aperto no peito. Melhora quando tiro.
    Geralmente no banho uso o de melaleuca e pós banho tangerina no chacra cardíaco.
    Será que tem alguma relação? Estou me sentindo super ansiosa e sintomas de TPM.

    1. Oi, tati.
      Algumas coisas podem estar acontecendo, em relação à lavanda.
      -> A lavanda pode não ser a francesa. Nesse caso os componentes químicos tem tendência a nos deixar mais agitados.
      -> Pode ser algum histórico exclusivo teu com a lavanda. Por exemplo, conheço o caso de uma senhora que fez tratamento de quimioterapia em que uma das terapias utilizava o OE de lavanda. E depois desse período ela passou a associar o aroma da lavanda com a situação do cancer. E esse cheiro tão aconchegante passou a ser ruim para ela. Nossa memória olfativa é bem mais forte do que supomos.
      -> O tratamento vibracional que ela está operando pode estar além do teu limite nesse momento.

      A sugestão: Não force.
      Tente usar ela de forma mais diluída, em um spray de ambiente, por exemplo.
      Ou substitua por outro óleo essencial que traga o mesmo objetivo esperado.

  2. O inalador que é indicado no texto é aquele stick? Apenas uma gota ao dia já é suficiente, como num colar difusor?
    Obrigada! =)

  3. Olá pessoal..
    Queria saber se é normal ou possível não se sentir bem com O. E de lavanda.. Não é a primeira vez que acontece.. Ontem chegaram meus óleos e nessa mesma noite coloquei no meu difusor elétrico (o da fumacinha) mas demorei pra dormir e não dormi bem e sentir um certo desconforto no estômago e me acordei pior ainda.. Rsrsrs.. pensei, não é possível todo mundo fala tão bem da lavanda…. Mas comigo não é assim.. Será que poderia ser algum tipo de cartase? Existe isso com os O. Es também? Por favor me expliquem… Desde de já agradeço 😊

    1. Oi, Belle.
      É possível sim. E isso pode acontecer por vários motivos.

      A lavanda é um óleo essencial praticamente sem contra indicações, então sua reação muito provavelmente não está ligada a questões alérgicas.

      O mais comum é algum tipo de trauma relacionado a esse cheiro. Uma pessoa próxima de mim, por exemplo, fica mal com o OE de lavanda, porque passou pelo processo de quimioterapia, e no hospital havia um atendimento de aromaterapia com lavanda. O que era pra ser um processo bom, acabou sendo traumático. Quando ela sente o cheiro da lavanda, lembra desse período difícil.
      O cheiro de lavanda é muito usado em produtos de limpeza (apesar de normalmente ser uma essência bem esquisita), e muitas pessoas associam a isso também.

      Sua reação pode ser o óleo essencial já agindo e trazendo alguma reação do corpo. Mas nesse caso, com a lavanda, não acho muito provável.

      Na aromaterapia, falando de uma forma mais vibracional, quando alguém tem uma aversão muito grande a um OE que sabe que precisa, dizemos que ainda há um caminho a percorrer para conseguir aceitar o que aquele óleo veio trazer.

      A dica é não forçar, mas também não desistir. Aceitar o seu limite com ele e ir tentando se acostumar aos poucos.
      O mais importante é ser sincera e amorosa consigo nessa experimentação.

    1. Oi, Melena. Sim, o óleo essencial de anis, ou a erva doce, ou o funcho. Funcionam muito bem para estimular a produção de leite.
      Faça em momentos que seu filhote não esteja por perto.

  4. Pingar muitas horas faz mal? Acabei deixando pingar muito (coloco no colchão onde durmo com minha bebê de 10 meses) e estou preocupada

    1. Oi, Jéssica. Sim, pode fazer mal. Alguns óleos essenciais nem são indicados para inalação de crianças, sempre pesquise bastante sobre o óleo antes de submeter sua filha ao aroma. Podem gerar taquicardia, alergias de contato, reações de pele, enjoos. O bebê é muito frágil ainda, muito sensível.

      Ainda que seja um óleo essencial tranquilo para crianças, como a lavanda e os cítricos, a proporção para ela deve ser bem pequena. Aplique em um lado oposto ao que ela vai ficar. E uma gotinha já é suficiente para o uso dessa forma.

Deixe uma resposta