Foco, concentração e o TDAH

Você sabe a diferença entre a falta de foco e a de concentração? E sabe porque algumas vezes a falta de concentração é diagnosticada como TDAH? Continue a leitura e descubra também algumas pequenas atitudes que você pode tomar para ajudar as crianças a superar esses obstáculos.

Nesse mês das crianças preparamos uma série de artigos e lives para que possamos conversar sobre algumas questões da infância. Se você não viu o primeiro capítulo, clique aqui.

 

Foco e concentração

Vamos começar com os conceitos. A concentração é a habilidade de se manter atento a uma determinada atividade por um certo período contínuo e consistente. Já o foco é mais específico, uma atenção seletiva a um determinado alvo. Então, como exemplo, posso dizer que estou concentrada nos estudos, porém vou focar minha atenção nesse determinado conceito que ainda não domino para a prova de amanhã. Ou que estou concentrada há algumas horas dirigindo o meu carro em uma viagem, e vou ter foco agora para encontrar uma rua que não conheço.

Dificuldades em manter a atenção e ter foco causam aborrecimentos para as crianças a curto prazo e, se não sanados podem causar prejuízos até na vida adulta. Nesse ponto a terapia com OEs pode ajudar muito, pois caso seja apenas um hábito novo ou uma situação momentânea, as crianças naturalmente são mais rápidas para incorporar mudanças.

Um óleo essencial indicado para essa questão é o de vetiver. Ele gerencia os pensamentos e intensifica a percepção de estar vivendo o momento presente.

Além dele, o óleo essencial de cedro também pode trazer resultados positivos. Esse óleo essencial, ao mesmo tempo que traz a sensação de aterramento, de atenção ao momento presente, também mexe com o mental, expandindo a consciência e promovendo a atenção. E com isso promove a estabilidade emocional.

Lembre-se de que todas as interferências terapêuticas em crianças devem ser feitas com muita atenção na administração. Carinho e respeito também são fundamentais. Atitudes autoritárias tendem a não ter uma boa repercussão.

 

Quando entra o TDAH

O Transtorno de Deficit de Atenção com Hiperatividade, mais conhecido pela sigla TDAH, é uma alteração no cérebro que envolve falta de atenção, hiperatividade, comportamento impulsivo, ou todos esses três sintomas.

Vamos deixar algo bem claro aqui: Uma criança é um universo. Antes de procurar encaixar a criança em um diagnóstico há muitas coisas a serem feitas. Preste atenção a ela, converse, analise sua história, possíveis traumas, sofrimentos, angústias. As características apresentadas podem ser apenas um reflexo do que ela já experienciou. Crianças entendem muitas coisas que nós, adultos, achamos que não. Elas percebem as situações, são sensíveis, intuitivas.

E outra coisa: Só quem pode dar um diagnóstico seguro é um médico, que pode ser psiquiatra, neuropsiquiatra, neuropediatra, neurologista, pediatra ou qualquer outro profissional de saúde mental, desde que seja especialista em TDAH. Então, nada de sair por aí dizendo que alguém tem esse transtorno só porque os sintomas combinam.

Ok? ok. Prossigamos.

 

O peso do diagnóstico

Algo que considero de grande valia é frisar o quanto dói um diagnóstico médico. No momento em que alguém coloca um carimbo na sua testa com o nome do problema que você tem é como se todas as suas células se convencessem disso, e vão retroalimentar o problema e o peso de tê-lo. Com crianças isso se torna ainda mais difícil quando a tendência dos adultos é se apiedar e olhar para esse diagnóstico antes de enxergar os olhos da criança.

É preciso trabalhar essa questão no plano mental. O estigma certas vezes pesa mais do que o transtorno em si. Não estamos aqui desqualificando os diagnósticos, pelo contrário, eles são muito necessários e são uma grande ferramenta na busca da cura. O que queremos dizer é que crianças são crianças, e isso vem primeiro do que qualquer rótulo, do que qualquer diagnóstico. Nesse caso, olhe para ela como criança que é, não como uma portadora de TDAH. Isso ajudará demais no progresso saudável da sua jornada.

 

Ajudinha em gotas

Como sempre aqui nos textos do blog, segue um compilado de dicas de aromaterapia.

Para um tratamento complementar da criança com TDAH, é necessário levar em consideração também os fatores que contribuíram para o surgimento do transtorno.

Existe um componente, em alguns óleos essenciais, que é especial para casos de hiperatividade. É o mirceno, uma molécula capaz de reduzir a impulsividade, a agitação mental, a ansiedade e até casos de convulsão. Essa molécula é encontrada em alguns óleos essenciais, como o olíbano, a tangerina e a manjerona. O olíbano promove uma concentração superior, é capaz de elevar a mente a estados meditativos. A tangerina, como os cítricos em geral, é um óleo essencial solar, traz a alegria de viver; também reduz ansiedade e irritabilidade e pode melhorar a qualidade do sono. Já o óleo essencial de manjerona diminui estresse e irritabilidade, acalma e promove a concentração, sendo também um tratamento eficiente para TDAH.

Além desses óleos essenciais, não pode faltar nessa lista o nosso queridinho, o óleo essencial de lavanda. Ele acalma, clareia os pensamentos e aconchega, promovendo mais autocontrole e entendimento da situação.

Cada óleo essencial atua de várias formas, é um mundo de possibilidades. Aqui mostramos um pequeno resumo do que cada um desses escolhidos é capaz de fazer nos casos específicos dos quais estamos falando. Eles ajudam muito, claro, mas para um tratamento mais específico e aprofundado, consulte um aromaterapeuta. E nunca, nunca mesmo, pare com tratamentos alopáticos por conta própria, a terapia com óleos essenciais é complementar.

Os óleos essenciais citados nesse texto você encontra aqui na nossa loja virtual.

34 comentários em “Foco, concentração e o TDAH

  1. Olá! Gostaria de orientação para usar o difusor em minha turminha de crianças agitadas, para que não agitem tanto a sala, tenham foco, concentração e absorvam melhor o conteúdo. São 25 crianças com diferentes características, mas como o uso será diário, deve ser seguro e na dose certa… Podem me orientar?? Grata desde já. Beatriz.

    1. Oi, Bea. Que bom que tens essa preocupação. É muito necessária mesmo. Os óleos essenciais podem trazer complicações para alérgicos, hipertensos, epiléticos. E em uma sala de aula realmente é difícil saber quem pode ter alguma propensão assim. Então nesses casos trabalhamos sempre só com os óleos que não apresentam risco algum.

      O óleo mais básico nesse caso é a Lavanda. Ele acalma, deixa as pessoas mais propensas à convergência de ideias, acolhe. Escolha sempre a lavanda francesa, já que as outras variedades possuem componentes que ativam ao invés de acalmar.
      E pode colocar junto o óleo essencial de Cedro. Que traz a atenção para o momento presente e estimula a concentração.
      Essa duplinha é ótima para crianças. No difusor de ambiente, esse de tomada, pode colocar duas gotas de cada um deles com um pouquinho de água, todos os dias.

      1. Daiana, boa tarde! Estou apaixonada por aromoterapia, é no seu jeito simples de falar sobre o assunto. Sou Tdah com diagnóstico, meu diagnóstico foi quando adulta, hoje tenho 51 anos. Tenho o OE de olibano e o vetiver. Como posso usá-los? Estou sem a medicação por algum tempo, com ciência do meu médico. Porém a organização da minha vida está um caos. Obrigada e parabéns pelo seu trabalho. Em breve, espero poder fazer o curso de aromoterapia integrativa com vc. Bjs

        1. Oi Silvana, fico feliz em saber que você nos acompanha. Sugiro o uso por inalação, 1 gotinha de cada no difusor pessoal ou 3 gotas de cada no difusor ambiental.
          Aguardo você em breve! 🙂

    1. Oi, Sueli. Dá uma olhada com calma nessa postagem, veja as situações que se encaixam com as necessidades dele, e use conforme o dito aqui.
      Qualquer dúvida estamos a disposição.

    1. Oi, Diego. Obrigada pelo elogio. FIcamos mega felizes em saber que nosso material pode ser útil.

      O blend com os 3 seria mais prático. Mas como cada um dos óleos essenciais fará um trabalho diferente ao longo do dia, é mais indicado que aplique cada um em seu momento.
      Por exemplo, o lemongrass é um óleo que irá estimular o carinho, a percepção do outro, o sentir acolhimento. Em resumo, mexe com as relações interpessoais. Então o indicado para ele nesse caso é a aplicação antes de ir para a escola e ter esse convívio. Se ele for aplicado em outro momento, trará resultados diversos, como incentivo a uma boa noite de sono, enfim.
      Óleos essenciais de foco também são indicados para uso logo antes das atividades escolares. Usa-los de noite, por exemplo, pode desencadear a atenção específica em algo e atrapalhar o sono.

      Por conta dessas questões é legal aplicar cada óleo essencial em seu momento, seguindo essas questões abordadas no texto.

    1. Oi, Fernanda. Nesses casos, pode usar diluição de 0,5% até os 6 anos, e 1% a partir dessa idade. 0,5% corresponde a 5 gotas de óleo essencial para 50g de base.
      Se for usar óleo carreador, prefira os mais leves, como semente de uva e semente de maracujá e jojoba.

  2. Olá. Adorei a matéria, mas por ser tratar de crança temos que ter toda atenção. Tenho um filho de 9 anos , está apresentando difigualdade no aprendizado; foco ,atenção e memorização. Hoje tudo é Ritalina e como país somos resistente. Ele não é agitado , mas tenho dificuldade em compreender principalmente matérias como matemática é português. Qual óleo seria indicado ? O cedro?

    Forte abraço

    1. Oi, Manuela. Na minha opinião vale muito tentar aromaterapia antes de partir para medicamentos mais pesados. Claro, desde que essa decisão seja segura para ele.

      Nos momentos em que é necessário o foco, como a hora da aula, ou de fazer deveres em casa, alguma tarefa que exija atenção, vale usar o óleo essencial de alecrim ou de limão. O alecrim possui algumas restrições, e vale olhar elas com calma (questões como pressão alta e ataques epiléticos), já o limão é bem tranquilo nessas questões.
      E um outro óleo essencial, para todos os outros momentos, é o vetiver. Um OE de presença, de noção profunda do momento presente, de percepção do entorno. Cedro é interessante também, mas o vetiver aqui acredito que seja melhor.

      Mas para um tratamento mais aprofundado, com um acompanhamento específico pra ele, vale consultar um bom aromaterapeuta.

  3. Boa tarde!! Meu filho tem 11 anos e tem déficit de atenção. Já estamos fazendo o uso do limon e Blond Está correto esse uso??,o lavander ,a noite blnd de manhã e a noite ,lemon também.de manhã, gostaria de saber se esta correto ?

  4. Olá! Meu filho tem 8 anos e diagnóstico de TDAH. Já a algum tempo que tenho interesse em introduzir no tratamento dele os óleos essenciais porém tenho muitas dúvidas:
    – há a necessidade de marcar consulta com algum terapeuta dessa área? onde encontrar esse profissional?
    – como utilizar? em difusor, diluido em agua ou passando no corpo?
    – nas minhas pesquisas ouço sempre que os melhores para o TDAH seriam o vetiver e o de lavanda. É isso msm?
    – posso fazer um blend entre os oleos ou devo usar separadamente?

    1. Oi Luciane, vale consultar um aromaterapeuta sim. Com toda certeza um terapeuta irá aprofundar questões que devem ser trabalhadas que numa indicação pela internet não é possível validar.
      Qual sua cidade? Posso recomendar alguma aromaterapeuta de confiança 😉
      No difusor pessoal pode ser usado como no ambiental.
      Para TDAH hpá vários óleos essenciais bons, como : Patchouli, cedro atlas, vetiver, olíbano, gerânio e lemongrass.
      Pode fazer uso de 2 a 3 óleos essenciais sim ;D

    1. Oi Juliana, sim dura o dia todo. Na verdade ao longo do dia começa a diminuir os resultados. Por isso, vale manter uma regularidade no uso (aplicar sempre no mesmo horário e todos os dias)

  5. Bons dias,
    Gostaria de ter acesso as lives que fez sobre Desenvolvimento Infantil, encontrei disponível, tanto na página do facebook quanto no canal do youtube a live com o tema Agressividade e Alergias de pele, não encontrei os de Foco, concentração e TDAH, o de Autismo e Distúrbio do sono e adaptação escolar.

    Obrigada

  6. Olá boa tarde!
    Meu filho de 5 anos (quase 6) começou a ficar desanimado com a escola, li bastante coisa e hoje usei 2 gotas de bergamota na golinha da camisa de uniforme (pq ele ñ gosta de cordão). Esta forma de uso é errada? Aonde eu comprei o óleo a responsável me disse que não havia problemas, mas nunca vi essa sugestão por aqui…
    Posso usar uma gota de bergamota e uma de cedro?

    1. Oi Ana, era bergamota LFC? se não for, pode causar queimadura na pele dele quando em contato com o sol.
      Não recomendo dessa forma aqui no blog, pois muitos óleos essenciais em contato com a pele podem provocar dermatite. Por isso recomendo sempre o difusor pessoal ou ambiental 😉

  7. Meu filho de 5 anos tem
    TDAH, ele tem mta dificuldade em
    Concentrar e manter o foco.. e estou querendo evitar ao máximo medicação. Comprei um difusor pessoal para ele e os óleos de vetiver, cedro, lemongrass, tangerina, lavanda no site da harmonia. Teria como me orientar em como posso fazer uso desses óleos??

    1. Oi Patricia, utilize para o foco e concentração cedro atlas e vetiver num creme neutro e aplique através de massagem nos pés todos os dias. Por inalação no difusor pessoal utilize cedro atlas e lemongrass durante o dia.
      No período da noite, se precisar para auxiliar no sono use lavanda e lemongrass.
      😉

  8. Boa noite,

    Li o artigo e fiquei muito interessada e alivida em saber que existem terapias alternativas para esses transotornos. Meu filho foi diagnosticado com TOD. Vivemos um dia de cada vez, ele é bem agitado também , mas isso não nos incomoda e menos preocupa, o que mais nos acomete de preocupação são a impulsividade e agressividade. Ele faz uso de medicamento, mas relata quando perguntado o porque aje daquela forma, que não consegue se controlar. Ele tem 6 anos. O que posso usar para ele? Obrigada

    1. Olá Daiane,
      O uso da Aromaterapia e outras terapias integrativas têm sido muito efetiva para diversos transtornos, vale a pena experimentar.
      É válido fazer uma sinergia com o óleo essencial de camomila-romana, óleo essencial de patchouli e o óleo essencial de gerânio. Misture 5 gotas de cada óleo em 50g de creme neutro e armazene em embalagem de vidro. Aplique através de massagem nos pés, pela manhã e à noite. Essa sinergia irá promover mais amorosidade e tranquilidade, diminuindo assim a agressividade, impulsividade e agitação. Depois de 20 dias, me escreve contando com ele está. 🙂

  9. Olá boa tarde!
    Minha filha de 3 anos vem apresentando atitudes de agressividade, impulsividade, teimosia, birra, medo e timidez
    Ela está fazendo tratamento homeopático há uma semana e já tenho visto resultados
    Gostaria de complementar com o uso da aromoterapia mas não sei como.
    Poderiam me indicar os óleos mais adequados e como usá-lo?
    Obrigada!
    Att
    Julie

    1. Oi Julie, tudo bem? O uso da Aromaterapia como tratamento complementar será muito especial para sua filha.
      Utilize o óleo essencial de patchouli e gerânio para reduzir a impulsividade e agressividade, associados ao óleo essencial de benjoim, para promover mais confiança e auxiliar na comunicação. Misture 2 gotinhas de cada óleo essencial em 30g de creme neutro e aplique através de massagem nos pés dela todos os dias. =)

  10. Olá, tudo bem? Obrigada por disponibilizar um artigo tão bacana. Minha filha é tdah, li muitos relatos interessantes sobre os OE. Sou de Floripa, indica alguma aromaterapeuta para me auxiliar? Hoje estive na loja da harmonie e comprei vários OE que podem auxiliar nos sintomas de tdah, mas gostaria de saber a melhor forma de uso. Comprei os óleos: alecrim, elemi, vetiver, lavanda, olíbano, cedro atlas, manjerona e tangerina. Aproveitei e comprei o difusor pessoal e de ambiente, além do creme de base neutra. Sugestões de uso? Obrigada!

    1. Olá Cristiane, o uso pode ser por inalação e aplicação tópica. É possível criar combinações muito bacanas com os óleos essenciais que você adquiriu. Mas preciso saber a idade dela, para poder orientá-la com mais segurança.
      Entre em contato conosco, que lhe daremos indicações de Aromaterapeutas da região de Florianópolis: (48) 99146-7565. 😉

  11. Boa tarde!
    Minha filha tem epilepsia, e ainda estamos fazendo a investigacao do TDAH pois possui todas as caracteristas. No entando a medicacao para TDAH nao e compativel com a de epilepsia, entao estou buscando outras alternativas para minimizar os sintomas. Gostaria de saber qual oleo seria mais indicado para ela melhorar a falta de concentracao, impulsividade, agitacao, sem que interfira na epilepsia.
    desculpe a falta de acentuacao e pontuacao no texto e que meu teclado esta com problemas.
    desde já agradeco a atencao.

    1. Oi Eni, o OE de vetiver e cedro seriam opções seguras, visto que ele faz uso de medicamento.
      Vale consultar um bom aromaterapeuta, para ter um acompanhamento mais aprofundado. =)

  12. Daiana Petry !
    Meu filho tem 14 anos e foi diagnosticado com defict de atençao, e eu nao gostaria de da a ele remedio , me endique olhos essenciais… Eu gostaria de saber se vc conheçe algum medico aromaterapeuta a qui no Rio de Janeiro .

    1. Olá Luiza, para TDAH há vários óleos essenciais bons, como : Patchouli, cedro atlas, vetiver, olíbano, gerânio e lemongrass. Podes escolher até 2 OEs para ele usar no difusor pessoal, 1 gota de cada ou no difusor ambiental, 2 gotas de cada.
      Temos indicação de Aromaterapeuta no Rio de Janeiro, mas não que seja médico também. Você tem interesse?

Deixe uma resposta